Câmara quer cancelar o programa de jovem aprendiz? Saiba tudo!

Será verdade que a câmara pretende cancelar o programa de jovem aprendiz? Será o fim da oportunidade de emprego para menores de idade?

A princípio, saiba o que na verdade está acontecendo é uma mudança no funcionamento do programa do menor aprendiz.

No entanto, com essas mudanças, o número de menores aprendizes pode cair consideravelmente a depender de alguns fatores.

Ou seja, de uma forma indireta, podemos dizer que o programa pode ter sim uma queda aqui no Brasil.

Mas, até o momento não tome conclusões precipitadas.

Por fim, acompanhe agora tudo sobre a possibilidade de cancelar o programa de jovem aprendiz em 2022.

Jovem Aprendiz vai acabar?

Não, o que pode acontecer é o número de cotas diminuir drasticamente.

Atualmente, a lei obriga empresas de meio e grande porte reservar até 15% das vagas para jovens adolescentes de 14 a 24 anos.

No entanto, se a mudança ser implementada no programa do jovem aprendiz as cotas caíram drasticamente.

Embora não exista um número específico, acredita-se que a porcentagem cairá de 15% para 5%.

Ou seja, o número de vagas de empregos para menores aprendiz será ada vez menor, muitos jovens ficarão prejudicados.

Assim, será comum que as empresas ofertem bem menos vagas para jovem aprendiz no mercado, o que vai aumentar ainda mais a concorrência para quem busca o primeiro emprego.

Os salários do jovem aprendiz vão mudar?

A princípio, quem determina o salário do jovem aprendiz é a empresa contratante, sendo o mínimo R$ 600,00.

Sendo assim, não dá pra dizer ao certo se o salário do jovem aprendiz sofrerá modificações, mas muito provavelmente os salários não sofrerão mudanças.

Além disso, vale lembrar que os salários também variam de acordo com o porte da empresa contratante.

Ou seja, um jovem aprendiz do Itaú com certeza vai receber mais do que um jovem aprendiz de um escritório de contabilidade de um município qualquer.

Em resumo, é realmente muito difícil dizer se haverá mudanças nos salários ou não.

A efetivação ainda vai existir?

Atualmente, a maioria dos jovens aprendizes acabam sendo efetivados, principalmente os que atingem maior idade. No entanto, isso pode mudar a qualquer momento.

Na prática, isso cabe somente à empresa contratante, se o jovem está tendo boa performance em sua função existe sim a possibilidade do mesmo receber efetivação.

Porém, isso nem sempre é uma regra.

Ou seja, se o jovem aprendiz vai ou não ser efetivado cabe a empresa contratante dizer isso, lembrando que a empresa deve “acertar” com o funcionário e depois contratá-lo novamente.

Quando começa a mudança no jovem aprendiz?

A princípio a lei ainda não está aprovada, neste caso ainda resta algumas semanas ou talvez meses até que a mesma entre em vigor.

No entanto, a lei pode receber revogação, o que fará com que o programa jovem aprendiz continue funcionando normalmente como é hoje.

Vale lembrar que alguns órgãos como Federação Brasileira de Associações Socioeducacionais de Adolescentes (Febraeda) estão lutando contra a lei.

Ou seja, talvez a lei receba revogação e tudo continue como está.

Conclusão

A princípio, o programa jovem aprendiz não vai acabar, porém, algumas mudanças podem dificultar a empregabilidade de menores.

Na prática isso afeta a sociedade, afinal, mais jovens não conseguirão ter acesso ao programa, que vai oferecer menos oportunidades.

Por fim, a câmara nega a intenção de cancelar o programa de jovem aprendiz, apenas calcula executar os reajustes mencionados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.